Entre Eu e Você

Aquele dia 12 de Agosto de 2012,quando me acordei, parecia mais um dia normal. Mais um dia, em que iria trabalhar no meu emprego bem-sucedido, saindo da minha casa de um homem bem-sucedido, no meu carro de um homem bem-sucedido, que tinha comia o café dentro do carro e que só pensava em dinheiro. Além de encarar um engarrafamento enorme e vê pessoas a pé me ultrapassar fácil. O chato era saber que o emprego ficava 10 minutos de casa a pé, mas gostava de ir de carro, assim encantava as cocotas, principalmente a noite, e com engarrafamento … era só alegria!

Ao chegar no emprego, todos olhavam para minha grife e era sempre bem atendido pela minha secretária gostosa, que virou minha secretária após uma transa bem gostosa que tive com ela, quando ela era apenas uma faxineira gostosa. Mas apesar dela não ter entrado pelo caminho “correto”, era a minha melhor secretária.

Como um homem bem-sucedido, vocês perceberam que não falei meu nome, muito bem, meu nome é Juliano Correia Matos. Sou filho do dono da empresa que trabalho, a empreiteira Matos. Onde sou sócio de meu pai, o senhor respeitado pela sociedade chamado Lúcio Correia de Matos. Sou filho único, típico dos casais da alta sociedade. Minha mãe foi uma mulher muito pobre, com quem meu pai teve um caso. Depois ele me comprou dela, mas com medo dela fazer um escândalo na mídia, acabou se casando com ela. Mas eles nunca foram felizes. Ele sempre contratou mulheres para satisfazê-los, e ela, homens. No fim, ela se separou dele, e foi recompensada com muita grana, 10% das ações, além de casas, carros e fazendas. Meu pai não se casou de novo, preferiu ficar sozinho, mesmo morando numa mansão tão grande que costumo chamá-la de “Arena Castelão”, já que chega a ser tão grande, quanto o estádio. Ele sempre me ensinou que o que importa na vida é grana. Você pode ser louco, maníaco, tarado, visionário, conservador e até ladrão, mas com dinheiro, você sempre será respeitado, pois é grana que as pessoas querem, é por grana que elas te amam e te bajulam. Lembro de todas essas palavras e principalmente da frase mais polêmica que era: “Odeie a humanidade e ame o dinheiro. O resto vem no natural. Não tenha amigos, no máximo família, com no máximo 1 filho, e ganhe e gaste muito dinheiro. Esbanje,ostente.” Essas palavras me guiam … quer dizer, guiavam, até que …

Próximo Capítulo!