Entre Eu e Você

 

Capítulo Anterior

Após ir atrás de Rosa, cheguei no trabalho todo bagunçado, após sofrer uma sabatina de Rosana sou surpreendido com a presença de meu pai na sala. Conversa particular. Quando ficou só eu e ele. Lá vem o cagaço! Ele olhou e perguntou se eu não estava louco. O que eu estava fazendo ali daquele jeito. Todo suado, paletó bagunçado, cabelo assanhado, havia sido assaltado?  – ele indagava furioso. Eu falei que havia sido isso. Ele olhou no fundo dos meus olhos e disse que estava mentindo, e que somente uma coisa deixava um homem como eu naquele estado, uma vagina fora da coleção que não queria entrar. Depois dessas palavras, ao sair da sala, ele repetiu a frase tão famosa: “Filho, ame o dinheiro, pois dinheiro te dá tudo o que quer. Mulher só te faz de babaca e corno.”

Depois de tais palavras, comecei a trabalhar e a tentar colocar minha cabeça no lugar, mas não tinha jeito, não consegui tirar Rosa da cabeça. Na hora do almoço, pedi para Rosana cancelar todos meus compromissos, pois tinha algo para fazer. Ao pegar meu carro, aquele Porsche lindo, tinha uma missão, encontrar Rosa, nem que fosse no inferno.

Girei a cidade toda procurando aquela mulher, quando em torno de uma e meia da tarde, quando parado no sinal da 13 de Maio com a Carapinima, eu vi ela toda linda, com uma amiga dela, indo em direção ao CH da UFC. Avancei o sinal, subi a calçada e parei o carro na frente dela. Ao descer do carro, ela começou a disparar vários palavrões em minha direção, já que eu quase a atropelei. na mesma hora, o sangue subiu, peguei ela de jeito e lhe taquei um beijo. Ela parecia tá gostando, até que mordeu meu lábio, fazendo sair muito sangue. Após sair dos meus braços, ela pediu para eu parar de persegui-la, além disso, ela disse que já tinha namorada e beijou na boca daquela que eu achava ser a amiga dela. Após o beijo, ela deu meia-volta e atravessou a Treze de Maio. Quando triste já estava, eu escutei a amiga dela falar pra ela: “Rosa, tua sorte é que sou bi, senão tinha te dado um tabefe na cara. Onde já viu, me dá um beijo desse só para se livrar de um homem gostoso como esse, que tacou o Porsche dele na parede só para falar contigo. Aff, mulher!” – Ao escutar aquilo, sorri muito, mas depois chegou a AMC e a imprensa. Só a manchete: “Filho e sócio de uma grande empreiteira avança sinal e bate carro contra parede.” Teve bafômetro e tudo. Mas a primeira meta foi alcançada, agora em busca da próxima meta. 

Voltei para casa de ônibus, era rico mas ninguém me conhecia mesmo. Foi estranha a sensação, não sabia que nos ônibus não aceitava Cartão de Crédito. Depois de muito tempo cheguei em casa. Quando cheguei, minha empregada gostosa, Marilene, avisou que tinha uma pessoa me esperando no escritório. Quando entrei no escritório …

 

Próximo Capítulo