Entre Eu e Você

Capítulo Anterior

Após lê a carta, liguei para meu pai, sabia que tinha sido ele, mas nada dele atender. Então, peguei o carro e acelerei. Não sabia onde ela estava mais eu ia até o inferno para salvá-la. Fui até a casa de meu pai, ele teria que me dizer. Ao chegar lá, fui até a piscina, chegando vi ele com uma loirona, naquela velha cadeira de frente para piscina, recebendo beijinhos da loira e com o velho charuto na mão. Fui até ele, espantei a gostosa e o peguei pelo roupão e o pressionei, perguntei várias vezes por Rosa e nada dele responder e quando falava era dizendo que ele havia me libertado. Após encher o saco dele, disse que se ele não me contasse onde ela estava, eu ia dizer para toda a imprensa sobre os contratos obscuros que ele fez com os governos nos últimos 40 anos. Ele pediu para mim não fazer isso e disse onde estava Rosa, mas no fim, afirmou que não adiantava mais, naquele momento, ela já havia partido.

 

Com a esperança de salvá-la, fui eu do Dunas até um zona de matagal perto do Maracanaú. Ao chegar no tal endereço, tinha dois homens enterrando um corpo. Não quis saber, naquele momento era guerra, antes que eles me matassem, matei-os antes. Ao chegar na cova … Era o corpo de Rosa, despido e morto. Sem vida, sem aquela brabeza que eu tanto adorava, sem aquele charme, aquele sorriso, aquela fúria, aquele ódio de mim. Agora eu entendia o porque de tanto ódio que ela sentia por mim. Mas agora o senhor Lúcio Correia de Matos iria saber que seu filho era tão ruim quanto ele.

 

Voltei para casa possuído, minha meta era uma só, vingar a morte de Rosa. Sabia que naquela noite teria uma festa organizada pela empreiteira onde estaria os podres homens e mulheres da alta sociedade. Não usaria nenhuma arma letal, usaria algo pior, algo que horrorizaria-os, que os faria perceber que eles são os urubus da sociedade, a carnificina que ter um fim, e o seu seria o novo herói. O sangue de Rosa foi o que alimentou essa minha ânsia de vingança e esta seria a pior já vista pela humanidade.

Próximo capítulo continua …