A Seplag informa que o projeto de criação das Regiões de Planejamento objetivou atualizar as macrorregiões do Estado, com vistas ao aperfeiçoamento das atividades de planejamento, monitoramento e implementação de políticas públicas de forma regionalizada, sendo utilizada também na elaboração dos instrumentos de planejamento legal.

Vale citar que o planejamento regionalizado e descentralizado cria as condições para a construção de matrizes econômicas interdependentes, corredores dinâmicos de atividades e fortalecimento das vocações regionais, aumento da eficiência sistêmica e, portanto, contribui para o desenvolvimento sustentável e qualidade de vida da população.

A antiga divisão em macrorregiões de planejamento vigorava desde 1999 e separava os municípios em oito regiões. De acordo com a Seplag, a nova legislação é mais específica e facilita identificar as particularidades locais. A mudança não altera os limites entre os municípios ou os Estados. A nova divisão será utilizada como base para o PPA, que vai orientar a gestão 2016-2019. No PPA constam todos os investimentos e metas a serem seguidos pelo Estado nos quatro anos seguintes.

Fonte: O POVO/SEPLAG