Autor: JOSÉ LOURENÇO KUTZKE MORAIS DA SILVA

Resumo

Os distúrbios do pé e tornozelo são prevalentes na população em geral e uma das principais motivações para consultas de cuidados primários. A prevalência das disfunções da pisada, a avaliação da gravidade da deformidade biomecânica, assim como a avaliação da evolução do tratamento, normalmente são identificadas somente pela análise clínica e radiológica. No entanto, na prática, o diagnóstico realizado somente com este tipo de abordagem, excluindo a avaliação do recrutamento muscular associado às disfunções plantares, parece ser insuficiente para eleger o tratamento mais apropriado, considerando que o funcionamento eficaz do pé, depende também do correto funcionamento do sistema musculoesquelético. Assim, o presente estudo teve como objetivo, identificar o método mais eficaz de análise do arco longitudinal medial (ALM) por meio da baropodometria computadorizada associada a avaliação eletromiográfica de superfície. Foram avaliados 43 indivíduos saudáveis, de ambos os sexos com idade entre 18 e 25 anos, por meio da Baropodometria Computadorizada, sendo adotados quatro métodos de análise do arco longitudinal medial que consistiram no: Índice do Arco Plantar de Chippaux-Smirak, Ângulo de Clarke, avaliação de Cavanagh-Rodgers, e Viladot. Após a avaliação, as classificações supracitadas foram submetidas a correlação de Spermann e Pearson, sendo comparadas com o recrutamento dos músculos Tibial Anterior, Fibular Longo e Gastrocnêmios bilateralmente. Estes valores foram determinados pela análise Eletromiográfica de Superfície (RMS) em unidade de μv. Foi possível constatar que o recrutamento dos músculos Gastrocnêmios (lateral e medial) apresentaram baixa correlação com todos os métodos testados. Já os músculos Fibular Longo (0,308) e Tibial Anterior (-0,308) apresentaram somente baixa correlação com o método de análise de Clarke. Portanto, com estes valores apresentados é possível afirmar que o método de Clarke é pouco confiável para a análise do arco longitudinal medial, como também os músculos Gastrocnêmios são pouco atuantes na formação deste. Já a classificação de Chippaux-Smirak e Viladot são mais indicadas para avaliação do ALM, sendo que a primeira se destaca em relação a segunda, pois os valores para o Tibial Anterior (53,9±9,6) e Fibular Longo (48,5±4,9) foram mais equivalentes quando avaliado o parâmetro de normalidade para a classificação do arco longitudinal medial. Portanto constatou-se que o método de Chippaux-Smirak foi a classificação mais eficaz a ser adotada na análise baropodométrica computadorizada para classificação do ALM.

CLIQUE AQUI E LEIA O ARTIGO