Diria que a “X” está com a cara da “X”! Um samba alegre, um enredo irreverente, que trás os ares da Amazônia para a Avenida, se bem que dessa vez, é o sabor da Amazônia. O Açaí é o homenageado da escola da Parada Inglesa. A “X” não vem pra rabeira. Olha a “X” voltando.

X-9 Paulistana 2016 - Dexaketo

Letra:

Ecoou… O rufar do meu tambor
“Do amor de Iaça ao esplendor de Belém do Pará”
Lugar de rara beleza
Encantos da mãe natureza
Onde a velha sábia revelou
O sacrifício que a tribo suplantou
Índia tão bela, sua lágrima o fruto fez brotar
Do solo sagrado brasileiro
Correu o mundo e tem história pra contar

O povo Tupinambá foi o primeiro a provar
E fez a festa na aldeia
É canto e devoção, somos todos irmãos
Sangue cabano tá na veia

As margens do rio, mercado popular
Destaque na cor e no seu paladar
Dela tudo se aproveita, árvore sagrada
Culto de mina-nagô
Ôôô, saúde e bem estar
Ôôô, pra revitalizar
Na procissão de fé do Círio de Nazaré
Hoje clamo em oração
Oh! Virgem santa, abençoai meu pavilhão
São quatrocentos anos guardados no coração

X-9 é amor verdadeiro
Sempre em primeiro lugar
A “energia” do meu samba vem aí
Tá na boca o sabor do açaí