RESUMO

Na Psicologia o termo resiliência se tornou um conceito de fundamental importância, ao buscar investigar como algumas crianças, mesmo vivendo em ambientes hostis, conseguem superar as dificuldades e apresentar padrões adaptados de normalidade, sendo então consideradas resilientes (Poletto & Koller, 2002). O objetivo desta pesquisa foi investigar como a prática esportiva pode ser uma atividade potencialmente promotora de resiliência. Os participantes foram 11 adolescentes de uma instituição localizada em Campinas-SP, que ensina a prática do atletismo. Foi utilizado um instrumento denominado Mapa dos Cinco Campos (Samuelson, Therlund & Ringstron, 1996), que avalia a rede de apoio social e afetivo, associado a uma entrevista semi-estruturada. Os resultados apontaram que o campo referente ao projeto de atletismo foi o que obteve o maior número de pessoas citadas e o maior Fator de Proximidade. Identificou-se que a maioria dos participantes considera tanto o seu técnico quanto os colegas do projeto muito próximos de si. Os dados qualitativos destacaram muitas outras contribuições do projeto, como a maior aceitação do seu corpo, o aumento da auto-estima, da auto-confiança, motivação e da competência social, a atribuição de uma função social, aumento da responsabilidade, a ocupação do tempo ocioso, a mudança dos hábitos de vida e o estabelecimento de metas para suas vidas. Portanto os dados confirmaram que o projeto fortaleceu a rede de apoio social e afetivo dos adolescentes, além de promover muitos outros aspectos considerados essenciais para a promoção de resiliência.

Palavras-chave: Resiliência, Prática esportiva, Rede de apoio social e afetivo.

Autora: Simone Meyer Sanches

CLIQUE AQUI E LEIA