A Tristeza do Urbano

Nesses versos tão complexos
Não tem bela, nem amor
Pra você quero contar
Só tem sofrer e a muita dor
Canto, mas só faço judiar
Quem escuta é só tristeza
“Essa zoada não vai acabar!”

Nessa guitarra só se fala a verdade,
Cada morte que acontece nessa cidade.

Eu nasci naquela favela
Onde o esgoto é beira-chão
Todo cheio de buracos
A polícia matou outro negão!
Quando chega a madrugada
A bala e a sirene
Principia um barulhão

Nessa guitarra só se fala a verdade,
Cada morte que acontece nessa cidade.

Lá no mato tudo é triste
Tem um corpo estiradão
Pois o Urbano quando canta
É porque do trabalho está a folgar

E o choro que vai caindo
Rapidinho vai-se sumindo
Como o esgoto vai pro mar

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s