O que será do Brasil após Março de 2016?

Hoje houve a principal manifestação a favor do governo. As pró-PT aconteceram em todos os estados do país. O evento foi organizado, além do PT e do PC do B, pelo MST, CUT, UNE e outras entidades sindicais e estudantis.

A manifestação de domingo foi organizado pela MLB e partidos de oposição. Também ocorreu em todos os estados.

Fazendo um balanço das manifestações, usando números das organizações, a oposição bateu o governo por 6×1. Isso mesmo! Foram mais de 6 milhões no domingo contra um pouco mais 1,2 milhões nesta sexta-feira.

Além dos valores absolutos, mais cidades participaram no domingo. O impressionante foi a derrota do governo em algumas capitais do Nordeste, como na minha Fortaleza. Aqui em Fortaleza, foram 60 mil pró-governo contra 150 mil pró-impeachment. Só lembrando que nas eleições gerais de 2014, Fortaleza deu mais de 80% de seus votos para o PT.

A sexta-feira mostrou que o governo ainda tem força popular, foram mais de 1 milhão se manifestando a favor dele, porém o grito de impeachment parece mais forte que o de fica. Não se pode mais acreditar que uma “elite branca” está na rua para derrubar o governo.

Na minha opinião, a grande maioria que foi a rua pedir o impeachment, é composta por pessoas decepcionadas com PT. Isso é perceptível nas conversas de rua, nas redes sociais e em qualquer outro âmbito social. O PT traiu quem o amava, e toda traição dói e nem todo mundo tem coragem de perdoar. Os que lutam a favor do governo, são aqueles que ainda acreditam no “Se com eles é ruim, sem eles é ainda pior!”, são compostos por estudantes, intelectuais e militantes fiéis a Lula.

O que acontece hoje é um retrato social que surge a partir da eleição de Dilma em 2010, das ações de aproximação desastrada da direita, por parte da presidente, transborda em 2013, com as manifestações do Passe-Livre, desabafa em 2014, com a eleição de debate mais sujo da história, sem debates de ideias e cheio de boatos e explode em 2016. Fatores como Lava-Jato, crise econômica, crise social e outros, como as inacabadas obras da Copa, agravam e expõem esse quadro nacional.

Hoje vivemos um momento histórico, que terá como seu primeiro ato a queda de Dilma do governo, sendo esse fato quase irreversível neste momento. Outros acontecimentos poderão vir a surgir, mas a ascensão de Temer é uma incógnita ao que vem acontecer nos próximos meses em todos os campos sociais.

Hoje o governo está derrotado, mas não morto! Vejamos os próximos capítulos escritos, principalmente, a cada manifestação, para entender o desenho desse novo país.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s