Renan Calheiros revoga o pedido de Waldir Maranhão, presidente interino da câmara, que tinha como objetivo revogar o processo de Impeachment de Dilma. Ou seja, revogou o que foi revogado. Difícil de entender, né? Mas é exatamente isso que aconteceu hoje.

Alegando que o processo já corre há quase um mês no senado, e que o pedido é uma decisão monocrática tentando contornar a votação do pedido original que obteve mais de 360 votos em plenário na câmara, Renan decidiu prosseguir com o processo de impeachment, que já se encaminha para a primeira votação, que pode definir o afastamento parcial de Dilma.

Waldir e José Eduardo Cardozo pretendem recorrer ao STF, sendo este o último caminho viável para tentar evitar o óbvio, o impeachment de Dilma.