Eficácia do treinamento de força sobre parâmetros cardiovasculares e antropométricos em adultos sedentários

Resumo:

O objetivo desse estudo foi verificar a influência do TF, com frequência de três sessões semanais e duração de dez semanas, sobre parâmetros cardiovasculares e antropométricos. Trata-se de um estudo de intervenção do tipo antes-depois, cuja amostra foi composta por 30 indivíduos. Os mesmos eram adultos com idade compreendida entre 18 e 40 anos, de ambos os sexos e sedentários há pelo menos três meses. Foram realizados os testes da ergoespirometria computadorizada, PCR, VOP e composição corporal (variáveis dependentes), antes e logo após o experimento. As variáveis independentes, idade e sexo, foram aferidas no sentido de verificar seus efeitos sobre as variáveis dependentes avaliadas. Ao comparar os parâmetros cardiovasculares iniciais com os obtidos após a intervenção nos indivíduos submetidos ao TF proposto(através dos testes t de Student para amostras emparelhadas para os parâmetros que tiveram distribuição normal e para os que não a possuíram, o Wilcoxon), não houve diferença significativa nem na VOP (p =0.469) nem na PCR (p=0,247), porém houve aumento no Limiar Anaeróbio (LA) (p=0,004) e no consumo máximo de oxigênio (VO2máx) (p=0,052). Em relação às medidas antropométricas, os indivíduos diminuíram significativamente o percentual de gordura (p<0,001) e a massa de gordura (p<0,001), aumentaram a massa livre de gordura (p<0,001), porém não alteraram a relação cintura-quadril (RCQ) (p= 0,777), massa corporal (p=0,226) nem o índice de massa corporal (IMC) (p =0,212). Os achados do presente estudo nos levam a crer que o TF proposto, além de não aumentar a VOP nem a PCR, melhora a capacidade cardiorrespiratória e a composição corporal. Portanto, os adeptos de tal treinamento podem usufruir, com segurança, de todos os seus benefícios sem risco ao sistema cardiovascular

Citação: CABRAL, Carlos Ernani de Araujo Tinoco. Eficácia do treinamento de força sobre parâmetros cardiovasculares e antropométricos em adultos sedentários. 2012. 89 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2012.

Baixe o documento completo no link abaixo:

Clique Aqui e Leia o Artigo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s