A Vidraça – Capítulo 4

CAPÍTULO ANTERIOR

Ainda era noite daquele dia horrível, a penúltima na cidade, ela se arrependia da ideia que teve, porém não podia mais voltar atrás. Ela estava se sentindo mais suja do que quando se deitava com homens somente por roupas, presentes e dinheiro. As lágrimas escorriam, não só dos olhos daquela bela mulher “suja”, mas da alma da menina brincalhona de Cali.

A vida de Lola nunca foi fácil, a paz quase nunca esteve na sua história. Ainda criança, teve sua infância marcada pela morte de seu pai, assassinado pelo cartel de Cali, na sala de casa, e foi testemunha do estupro de sua mãe pelos assassinos de seu pai. A partir dali, sua vida seria um inferno. Ao relembrar de tudo aos seus 27 anos, ela percebeu que nunca viveu a vida, mas que sobreviveu com as armas que tinha.

Quando tinha 16 anos, fugiu de casa, após seu padastro tentá-la estuprá-la, além de está cansada de ver sua mãe apanhando todo dia para aquele traficante maldito. Após sair de casa, tentou diversos empregos, mas por ser moradora de rua, teve todos negados, lhe restando somente a prostituição. Sua beleza se destacava, e logo ela migrou das ruas para as boates, e de prostituta a Acompanhante de Luxo.

Aos 20 anos, sua beleza encanta um jovem empresário que a compra com os melhores presentes, mas que paga tudo com porradas e falta de educação. Após um ano e meio, se envolve com um jovem artista, que mata o tal jovem empresário para puder ficar com Lola. Após 1 ano, ele morre de overdose no apartamento em que vivia os dias. Novamente procura emprego, mas a falta de experiência faz ela não conseguir, o que a faz retornar a prostituição.

Aos 25 anos, chegou tentar o suicídio, mas “fracassou” na tentativa, porém 3 meses depois, conheceu Valentino, que a compra pra ele e a faz de sua Mulher, apesar de já ser casado. Ela sabia que ele a via como uma prostituta, pois tudo o que ele dava, ela teria de pagar com sexo, mas ele nunca a xingou, nunca bateu nela, sempre foi sincero e a tratou bem. Ele sempre dizia preferir passar um dia ao lado de Lola do que sair com sua mulher oficial. Valentino havia casado somente para ascender dentro da empresa que trabalhava e sua esposa não reclamava da “faixada”, pois em algumas vezes, ela também se envolvia com esta, já que a esposa de Valentino era lésbica e o casamento foi somente para puder receber a herança do pai. Lola estava aos prantos, mas ao lembrar de Valentino, lembrava que a vingança era necessária para ela se sentir honrada diante o único homem que a “tratou bem”.

Após as lágrimas voltarem a ser rancor, o “Whatsapp truou”, era uma mensagem …

Próximo Capítulo…

Anúncios

Um comentário sobre “A Vidraça – Capítulo 4

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s