Um Pouquinho de Amor Não Faz Mal a Ninguém – Capítulo 36

CAPÍTULO ANTERIOR

A nova Gabriela se apaixonou, enlouquecidamente por aquela anja dos céus, mas não demonstrou isso, foi fria e com uma atitude sem sentimento, pediu para a menina sair da casa dela assim que o dia amanhecer. Rosa começou a chorar e disse que já sairia aquela hora, pediu um Uber e foi embora. Fiquei triste, deu uma coisa no coração, mas a nova Gabriela jamais sofreria por amor, então, fui dormir, porque acabou o luto e o dia seguinte era de muito trabalho.

Ao chegar na agência, soube de uma nova modelo a qual eu tiraria as fotos no retorno ao trabalho. O estagiário mandou avisar que a bela modelo daquele dia era a irmã dele e que não seria necessário nem photoshop, porque a irmã dele era a mulher mais linda do planeta. Na hora, eu ri, mas ao ver a irmã dele, deu um tesão! Ela era maravilhosa! Seu corpo era perfeito, seu jeito de andar, seu sorriso, sua boca… Se eu tivesse pênis, eu estava ereta! Ao vir falar comigo para tirar as fotos, Adriana pediu para eu caprichar, então soltei uma cantada e ela foi bem clara: “Nunca gostei de Aranha!” – Brochei!

Após a sessão, Adriana agradeceu pelas fotos e disse que nunca mais eu deveria a cantá-la, pois ali elas estavam como profissionais e se isso ocorresse mais uma vez, ela me denunciaria por assédio. Eu fiquei com a “cara na chão”, mas ela não deixou de dizer uma verdade. Pedi desculpas e disse que nunca havia tomado “bronca” sobre isso, ao contrário, as modelos sempre se aproveitavam disso. Ela disse que sabia o que ocorria, mas isso não era desculpa para eu ferir o código de ética da instituição, a qual ela conhecia, pois leu antes de vir tirar as fotos. Além disso, ela falou que não faria a denúncia, porque o irmão dela era apaixonado por mim. Não foi novidade para mim, mas o jeito que ela falou, fez eu perceber que o estagiário sempre me olhava diferente. Mas ele tinha um defeito grave – Era homem.

Já a noite, enquanto analisava as fotos de Adriana, recebo uma mensagem do estagiário. Ele, simplesmente, mandou um “textaço” pra mim, era quase um livro, e as palavras contidas nestas eram cheias de sentimentos, foram uns dez “Eu Te Amo”, mas uns vários “Eu Preciso de Você para ser feliz”, que ele seria meu e que mais ninguém o importava. Mesmo sem palavras, tive que dizer a verdade. Falei que era “SAPATÃO”, para deixar bem claro qual minha orientação sexual, que não era bi e que não tinha interesse sexual ou afetivo por ele, ou qualquer outro homem, mas que por ele sentia uma boa amizade. Após ver que ele havia lido a mensagem e não respondido, percebi que ele estava chateado, mas não podia mentir, né? Então segui minha análise de fotos, de manhã tinha que entregar o book da irmã dele para o novo chefe.

No dia seguinte…

(Próximo Capítulo)

Anúncios

One reply to “Um Pouquinho de Amor Não Faz Mal a Ninguém – Capítulo 36

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto:
close-alt close collapse comment ellipsis expand gallery heart lock menu next pinned previous reply search share star