Cemparimbu – Capítulo 6

CAPÍTULO ANTERIOR

A Forte gravidade de Cemparimbu “puxava” a nave com muita força. Kleur utilizou de uma espécie de potência extra para somente amenizar a força da gravidade. A nave pousou de forma brusca, porém de uma maneira, em que não houvesse nenhum acidente grave. Ao pousarem, era só alegria. Bernardo e Leazinha foram os primeiros a descerem da nave. Kleur comunica a NASA sobre o sucesso da missão, porém a nave estava destruída, impossível de recolocá-la em órbita para quando eles fossem voltar. A NASA afirmou que eles não voltariam mais, que ali era onde eles ficariam até os últimos dias da vidas deles. No mesmo minuto, a comunicação foi desligada de Orlando. Kleur revoltado contou a novidade aos tripulantes e nenhum deles se surpreenderam, aliás, ninguém entendeu como Kleur não sabia. O Russo começou a chorar, pois ele tinha uma filhinha pequena e nunca iria ver sua filha crescer. Leazinha, como sempre, foi lá consolar o russo. E tome conversa!

 

Samami resolveu pegar a “Kombi”movida a energia solar, na qual eles tinham para explorar o planeta. Foram todos, menos o inconsolável Kleur e a conselheira Leazinha. Delon foi o primeiro a perceber que aquele planeta possuía duas luas. Outra coisa que foi perceptível foi o fato daquele planeta possuir muitas matas. Iti percebeu que aquele planeta não possuía animais, somente vegetais e bem obviamente seres vivos microscópicos como bactérias e tal.

Após algumas horas, eles retornaram aonde estavam. Já era a noite e a luz das duas luas eram belíssimas. Kleur ainda com lágrimas, tomou um café quente feito por Cruz. Bernardo deu um abraço em Noimo e disse: “Meu amigo, você me tirou o inferno e me trouxe ao céu.” Noimo olhou para ele e disse: “Mas Maradona é melhor que Pelé! kkkkk” Os outros só riam da besteira.

Após alguns dias, algumas anotações foram feitas. A primeira: O dia tinha 30 horas, menos que as 36 que se pensava. O Planeta possuía 2 Luas. O Mar do continente que eles estavam era constituído de água doce. As luas rotacionavam em sentidos diferentes: Lua 1, apelidada de De La Esperanza, ia do oeste para o leste. Enquanto que a Lua 2, apelidada de “The Big”, por ser maior, ia do Norte ao Sul.

As observações seguiam e o próximo capítulo seguiremos a falar das descobertas deles.

Cemparimbu Ao Chegarem

 

Anúncios

Um comentário em “Cemparimbu – Capítulo 6

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s