Cemparimbu – Capítulo 7

CAPÍTULO ANTERIOR

Com o sucesso aparente da missão e a descoberta de um mar de água doce, novas pessoas poderiam embarcar para aquele planeta. Aos que lá já estavam, a exploração continuavam. Além disso, a Nasa mandavam suplemento tecnológicos para que estes pudessem se aprofundarem mais daquela “América” do Século XXI.

Bernardo, um certo dia, decidiu que iria criar um calendário para eles se situarem no tempo local e começassem a ficar mais independentes da NASA, e criarem sua própria sociedade. Para criar este calendário, ele se utilizou de dados coletados por todos os companheiros de planeta. Segundo Samami, aquele planeta girava em torno de sua estrela, apelidada por eles de CEARÁ, em torno de 400 dias. Ou seja, o Planeta além de ter rotação mais lenta que a Terra, também possuía uma translação. Usando como De La Esperanza, que era a lua menor, porém tinha um período de rotação sobre Cemparimbu mais estável que a The Big. Leazinha e Cruz notaram a existência dos Hemisférios nortes e sul, existindo variação nas estações em ambos, igualmente na terra. Kleur, que acabou morrendo em uma expedição a outro continente, havia percebido a variação climática ocorria entre 80 à 120 dias.

O Primeiro relatório elaborado por Leazinha definiu:

CEMPARIMBU
Luas 2
SOL 1
Nº de dias no ano 40
Nº de horas no dia 30
Nº de Horas com sol nos equinócios de Ventos e colheitas 15
Nº de Horas com sol nos solstícios de verão 17
Nº de Horas com sol nos solstícios de inverno 11
Estações Climáticas 4
Nº de Continentes 8

Outro relatório, iniciado por Kleur e terminado por Cruz, definiu:

CEMPARIMBU
Luas De La Esperanza e The Big
SOL Ceará
Nº de dias na semana 7
Nº de dias que a La Esperanza demora para dar uma volta completa por Cemparimbu 35 à 50
Nº de dias por mês 35 à 50
Nº de meses 10
Estações Climáticas Verão (120 dias), Ventos (80 dias), Inverno (120 dias) e Primavera (80 dias)

Utilizando dos números de dias da Lua, o tempo em torno do sol e as estações climáticas, Bernardo elaborou o primeiro calendário cemparimbudiano. Para apresentá-lo, ele dançou o “Haka”, ninguém entendeu porque, mas ele fez isso. O calendário ficou assim:

CEMPARIMBU
Nome do Mês Nº de Dias Estação
Pelé 50 Verão
Beckenbauer 35
Zidane 35
Meazza 40 Ventos
Cruyff 40
Maradona 50 Inverno
Puskas 35
Charlton 35
Butragueño 40 Primavera
Ghiggia 40

E sim, Bernardo elaborou o calendário denominando os meses por nome de jogadores campeões do mundo e dois jogadores não-campeões, porém inesquecíveis (Puskas e Cruyff) e o maior espanhol à época, Butragueño (segundo ele, era uma injustiça a Espanha não ser campeã do ano – Só lembrando que eles sairam da Terra em 1998, e a Espanha só ganharia a Copa em 2010) Pelé e Maradona seriam os meses mais longos, por serem os dois maiores da história. Todos aprovaram o calendário, seria um modo de repassar aos filhos, alguma coisa da Terra, mesmo que de maneira indireta.

A NASA discordou com os parâmetros usados, que eles deveriam ser mais técnicos. Bernardo e Leazinha resolveram desligar o contato com a NASA, os outros concordaram e a partir dali, o Planeta eram deles. A NASA em contra-resposta mandou uma nave com novos habitantes para o Planeta, porém nenhuma nave alcançaria Cemparimbu e centenas de pessoas morreram em mais de 20 tentativas de alcançar o planeta de mar de água doce. Eventos imprevisíveis no Universo impedia que novos humanos chegassem lá.

Nos próximos capítulos, a exploração do Planeta sem a ajuda da Nasa, o surgimento da nova sociedade e o começo de fato de Cemparimbu.

Anúncios

Um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s