Estudo sobre a correlação entre vigorexia e overtraining em praticantes de musculação

RESUMO

A imagem corporal é supervalorizada pela sociedade, se sobressai ao caráter e aos valores; assim muitas pessoas vivem em prol de construir o corpo ideal e acabam por desenvolver transtornos de imagem. A vigorexia é um tipo de transtorno dismórfico corporal (TDC), no qual o indivíduo tem a percepção da própria imagem corporal alterada e, dessa forma, busca incessantemente o ganho de massa muscular. O overtraining, por sua vez, está relacionado ao excesso de treinamento e ocorre quando o exercício é intenso ou extenso demais e o descanso é inadequado entre uma sessão e outra ou devido dieta pobre em nutrientes que auxiliariam na recuperação muscular ou outros aspectos da rotina diária. Este é um trabalho de cunho quantitativo que tem por objetivo analisar a correlação entre vigorexia e overtraining e se essa correlação torna-se mais forte em homens ou mulheres e seu comportamento de acordo com a faixa etária. Participam do estudo 50 sujeitos, 35 homens com idade entre 16 e 53 anos e 15 mulheres com idade entre 16 e 48 anos que fazem musculação há, pelo menos, doze meses com frequência mínima semanal de treinos de duas vezes na semana, na Academia High Fitness em Eldorado do Sul. O estudo se valeu de três questionários: a) Dados Complementares; b) Complexo de Adônis e c) Sintomas Clínicos do Overtraining. Os questionários foram preenchidos pelos próprios voluntários do estudo, na sala de musculação, logo após os esclarecimentos sobre o trabalho e a assinatura do termo de consentimento. Com os questionários preenchidos foi constituído o banco de dados e as variáveis foram analisadas no programa SPSS versão 20. Conclui, então, que há correlação significativa entre as respostas dos questionários do Complexo de Adônis e de Sintomas Clínicos do Overtraining, sugerindo que características mais acentuadas de vigorexia se associam significativamente às características de excesso de treinamento. Constata que essa correlação ocorre entre homens e mulheres, sendo mais significativa para homens. Sugere que as mulheres demonstram maior tendência ao desenvolvimento isolado tanto da vigorexia quanto do overtraining, quando comparadas aos homens. A vigorexia demonstra correlação unicamente com a duração da sessão do treino em minutos, não demonstrando correlação com o tempo de treino em meses, frequência semanal e intensidade do treino. O principal objetivo da prática da musculação tanto para homens quanto para mulheres demonstra ser o ganho de massa muscular. Para as mulheres o objetivo saúde se encontra na última posição, empatado com o desempenho esportivo. Já para os homens a busca pela saúde vem logo após o ganho de massa muscular. Portanto, as mulheres demonstram maiores chances de acometimento tanto pela vigorexia quanto pelo overtraining e demonstram maior negligência com a saúde em favor da estética.

 

CLIQUE AQUI E LEIA O TRABALHO COMPLETO

Autor: Indiana Bernard Baum

TCC de Graduação em Educação Fisica Bacharelado

UFRGS – Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Ano: 2015

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s