Coxinhas e Mortadelas – Capítulo 2

CAPÍTULO ANTERIOR

 

O amor mais lindo do mundo, até os muros da política e do fanatismo entrarem no jogo. Taiana e Juliano descobriram que o destino havia colocado o que o clichê do amor tanto ostenta: “Os opostos se atraem!”. Taiana se chocou com postagens no Facebook de Juliano, que diziam: “#ForaDilma e leve o PT junto”. Juliano se espantou com as frases, que explicitavam: “É Golpe! Derrubar uma presidenta legitimamente eleita por mais de 54 milhões de eleitores é ir contra a democracia!” O que mais chocou ambos foi Taiana saber que Juliano era um típico “Coxinha da Aldeota”, enquanto Juliano descobriu que seu amor à primeira vista era uma “Mortadela das Humanas”.

Naquele momento da história, era inadmissível, um coxinha e um mortadela serem colegas, imagina amigos, imagina namorados, imagina “GRANDE AMOR DA VIDA”. Lula tinha acabado de sair de uma condução coercitiva, tinham acertado o rabo e não a cebça da jararaca! Brigas feias haviam ocorrido nas ruas e nas redes sociais. Amizades estavam sendo desfeitas, casamentos encerrados, noivados adiados ou cancelados, o Brasil estava em rebuliço. Em um domingo, 6 milhões de “Juliano” nas ruas! Na Sexta-Feira, quase 2 milhões de “Taiana”. Como o destino havia sido tão ridículo com eles? Será o amor não sabe que a Política é mais importante que ele?

Taiana resolveu contar a história para suas amigas de movimento feminista, de barzinho e de coração, Dandara e Raquel. Enquanto Juliano resolveu contar a história para seus “chapas de night”, do MBL e de empresa, já que ele estava abrindo uma clínica, Alencar e Olivier. Obviamente, tanto as “migas” de Taiana, quanto os “brôus” de Juliano condenaram essa paixão, mas tanto Taiana, quanto Juliano diziam que se sentiam tão bem perto um do outro. Os amigos justificavam dizendo que era só tesão, enquanto as amigas … diziam a mesma coisa. Os dois então resolveram esquecer aquela história! Além de não se add, ainda se bloquearam, assim não teriam como se rever. … Bobos! … O destino quando quer, arranja um jeito e jamais a política vencerá o amor!… Pelo menos no Dexaketo!

Era uma segunda-feira, Dilma a cada dia que passava perdia apoio do que um dia foi sua base. A movimentação Pró-Temer já era visível na Câmara e no Senado. Nas ruas, o Impeachment era aclamado pela maioria, não no mesmo fervor de Collor, mas numa intensidade de raiva, pela Presidente ter começado a tirar direitos trabalhistas, perdido a mão na inflação e deixado os caras roubarem debaixo de seu nariz. Claro, que o povo não queria Temer, mas a classe política é “malaca”. A ascensão de Temer no meio político serviria para “esconder” o último trecho citado.

Voltando a história, naquela segunda, Taiana iria assistir a aula e voltar direto pra casa, não estava em clima para algo mais. Porém, ao sair do CH para sua casa, caminhando, já que morava por lá perto, quando um carro a aborda. Era Juliano, que a chama para conversar. Naquele momento, as duvidas se acabavam, ele estava de azul tucano e ela, de vermelho PT. Eles se olhavam com ódio pela opção política, mas no coração a vontade de se beijar era intensa. Ele insistiu para ela entrar no carro e eles irem conversar no Shopping Benfica, mas ela dizia que não pegaria carona com um “golpista”. Ele berra afirmando que o processo que ocorria era de impeachment e ele não teve culpa se o PT assaltou o Brasil. Ela gritava que FHC vendeu o Brasil para o exterior. Ele gritava que Lula vendeu o Brasil para as empreiteiras. Ele tava em território inimigo. Logo, o ex de Taiana apareceu, já que morava por ali. Miguel “Che” perguntou se o “playboy” a incomodava. Juliano se incomodou e disse que não falava com maconheiro. Miguel se invocou e só não entrou no carro para “esculachar” Juliano, porque Taiana impediu. Enquanto ela segurava “Che”, pediu para Juliano ir embora e nunca mais a vê. Antes de acelerar, ele diz: “Será um prazer!”

Quando Juliano sumiu de vista, Miguel perguntou porque ela deixou ele “fugir”, Taiana disse que agradecia a ajuda de Miguel, mas que aquilo não o interessava. Ele, então, deixou aquele papo de lado e pediu para conversar sobre eles dois. Taiana disse que não havia mais eles dois, que só amizade e se encaminhou para casa.

Em casa, Taiana e Juliano faziam a mesma coisa, choravam e se indignavam com aquele maldito coração. Por quê? Tanta gente em Fortaleza e o coração resolveu se apaixonar por um opositor assíduo!!! Ela não via as mensagens no What’s app , ele pouco se interessava pelos convites das mais belas mulheres da UNIFOR no Facebook. Eles estavam apaixonados, era impossível negar. E agora? O que eles iriam fazer?

Anúncios

Um comentário sobre “Coxinhas e Mortadelas – Capítulo 2

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s