Um Pouquinho de Amor Não Faz Mal a Ninguém – Capítulo 48 – Saga de Antônio

Antônio era um cara humilde, trabalhador, que dividia seu tempo entre estudos e a profissão de Motoboy. O sonho de Antonio era ser engenheiro elétrico, e usava quase todo o seu dinheiro para pagar a mensalidade da Faculdade. Antônio, nunca teve a confiança de tentar o ENEM, segundo ele próprio, nunca conseguiria uma vaga por lá.

Um certo dia, Antônio foi entregar uma pizza no lado nobre da cidade. Quando passava pela Desembargador Moreira, um carro acerta a traseira de sua moto e o derruba, além de derrubar a pizza. Com Antônio, pouco houve, já que o toque foi de leve e ele estava de capacete, cotoveleira e todo tipo de equipamento de proteção (O bicho era prevenido). Ao se levantar para brigar com aquele “barbeiro”, sua voz se calou, suas pernas tremeram, seu suor congelou, coração disparou e tudo aconteceu. Desesperada, saíra daquele carro, uma lindíssima mulher. Ela perguntara se estava tudo bem com ele, que ela cobriria todo o prejuízo, que estava passando por problemas e que acabou se distraindo enquanto dirigia etc.

A bela mulher percebe que o motoboy estava calado e sem reação, então, se desesperou, achou que estava ferrada, então começa a chorar. Antônio, logo disse que não haveria problemas, que se ela, realmente, pagasse o prejuízo, estava tudo bem. Ela para de chorar, dar um abraço em nosso herói e ainda diz que fica grata por ele aceitar. Ela dar o dinheiro ali mesmo, em notas. Após pagar o prejuízo, ela vai embora e ele leva a moto no conserto, e avisa a pizzaria sobre o incidente. Para a pessoa que iria receber aquela pizza, outro motoqueiro a entregou outra pizza.

Na volta da Oficina, Antonio para no sinal e quando olha pro lado, ver a mesma mulher ao seu lado no carro. Ela percebe, dar um tchauzinho pra ele, diz oi, pergunta se ficou tudo bem com ele e a moto e se ainda tem algo que ela pode ajudar. Ele só sinaliza com um “joinha” que tá tudo bem. Ela sorrir e volta a olhar pro sinal. Quando este fica “verde”, eles aceleram e seguem suas vidas.

Ao chegar em casa, Antonio vai arrumar tudo dentro de casa. Para não ficar aquele silêncio, ele liga a TV. Varrendo o apartamento, ele escuta a voz da mulher, e vai correndo para a TV: “Gente, ela é a mulher do esporte no Jornal! Nossa, nunca vou ter chance!”. Depois de algumas varridas, ele escuta vir dela na TV: “Aliás, só consegui chegar a tempo pro Jornal, porque um ‘fofo’ no qual eu derrubei da moto, foi super gentil comigo. Peço desculpa pelo incômodo que o causei e espero que não tenha o prejudicado no seu emprego. Sei que isso tem nada a ver com os gols da rodada, mas tinha me desculpar aqui.” Ele começa a conversar com a vassoura, como se tivesse falando com a bela jornalista. Ao ver que estava ridículo, ele para e volta a varrer – “Seria muita sorte ter essa mulher na minha vida.” Após varrer, ele vai dormir, pois de manhã cedo, tinha que ir pra faculdade.

Antônio só não imaginava que sua história, era escrita por mim, e logo, tudo pode acontecer.

Anúncios

Um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s