Cemparimbu – Capítulo 18 – A Revolução Socialista

Depois de 2051, Cemparimbu viveria uma calmaria extraordinária. Depois de uma onda de independências, somente SONSO havia conseguido se emancipar de Angliski, mas foi um acordo cordial, resolvido por referendo e sem contestação de resultados.

 

Essa paz durou até o maior movimento político da história de Cemparimbu ocorrer. Sem nenhuma gota de sangue, em 2088, um incrível movimento socialista tomou o norte de Júpiter. Movimento guiado por Alejandro Muñoz levaria ao nascimento de uma nova potência global, a União Patriarca. Esse nome surgiria, pois além de nascer na cidade de Patriarca, e ter várias cidades “unindo-se” em torno dessa independência, segundo Munõz, Patriarca seria porque aquele movimento seria “pai” de diversos outros, pois este pregava a paz e a divisão dos bens em tamanho justo a cada cidadão do país. Em 31 de Puskas de 2088, a Assembleia de Júpiter aceitou a proposta de independência daquela região. Assim nascia, oficialmente, a União Patriarca.

União Patriarca

O detalhe na bandeira, fica para além da foice e do martelo. As diversas cores que compõem a bandeira representam a união dos povos, das raças, das sexualidades, dos gêneros, dos trabalhadores e todos os habitantes do país e de Cemparimbu.

A União Patriarca não seria igual a União Soviética. O país não teria um líder supremo, por exemplo. O país era dividido em 5 regionais (norte, sul, leste, oeste e central). A cada 3 meses, populares se reuniriam nas assembleias para debaterem ideias que acreditariam ser importantes para o país. No fim de cada assembleia, 1 representante seria escolhido. Cada região teria um representante na Assembleia Nacional que colocaria as pautas regionais na mesa, onde eles debateriam e definiriam, o que seria aplicado durante o ano seguinte em todo o país. Também ficou instituído, que a cada reunião, o representante variaria o sexo, assim além de evitar a “supremacia” de um gênero sobre outro, também evitaria-se a permanência de um mesmo membro regional por diversos anos.

Na União Patriarca seria permitido o pequeno acumulo de riquezas, o “excesso” seria revertido em venda para o exterior e o retorno em obras sociais, como saúde, estradas, estádios, teatros, cinemas e tudo o que vai além do básico.

A União Patriarca não só deu certo, como diversos países passaram a ter sua própria revolução socialista. O Vermelho tomou o globo. Para ter uma ideia, até mesmo Xiz havia proclamado a conversão ao Socialismo. Porém, todos os países se aproximaram mais do modelo soviético que do patriarquenho, sendo somente Sanders, o único país a tentar chegar a tal nível, porém não durou um ano, retomando ao modelo Soviético. A única diferença era o fato de existir eleições e nenhum partido ter sido cassado.

O que fez a União Patriarca ter alcançado tal nível? O povo comprou a ideia e assim se tornou algo próprio dos patriquenhos, aquele regime social. A meta nunca era o acúmulo de riqueza, mas o bem-estar de todo o país.

A ideia de União Patriarca foi comprada por diversos países, veja como ficou o mapa, de acordo com o regime social que vivera em 2097, sendo em Vermelho, países socialistas, e de preto, os países capitalistas. De branco, o único país anarquista, a Organização Nacional Anarquista.

Cemparimbu Vermelho - Dexaketo

Após aquele período “vermelho”, as consequências no mapa seriam enormes. Teríamos a última grande revolução nacionalista. Mas isso só no próximo capítulo!

Anúncios

Um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s