A JANELA DE VIDRO: ESPORTE, TELEVISÃO E EDUCAÇÃO FÍSICA

RESUMO:

A associação entre o esporte e a mídia, em especial a televisão, vem alterando progressiva e rapidamente a prática do esporte e a percepção que dele temos. Trabalhando com a lógica da espetacularização, a televisão fragmenta e descontextualiza o fenômeno esportivo, construindo uma realidade textual autônoma: o esporte telespetáculo. É premente a necessidade dos educadores refletirem sobre as repercussões deste processo, superando as posições dicotômicas enraizadas entre os “apocalípticos” e os “integrados”. Este trabalho objetiva realizar uma interpretação do discurso televisivo sobre o esporte, com base na hermenêutica de Paul Ricoeur, refletindo criticamente sobre suas repercussões na Educação Física enquanto uma prática educacional. A interpretação hermenêutica é definida como uma dialética entre a compreensão e a explicação, que leva à superação da intenção do autor pelo sentido do texto. Tal interpretação exige considerar tanto o conteúdo quanto a forma da linguagem televisiva, tanto a imagem como a fala.

A primeira fase da interpretação hermenêutica constitui-se de uma compreensão inicial da experiência do ser-telespectador do esporte, compreensão que é global, e se faz por conjecturas. Para tal, foram assistidas cerca de 100 horas de programação televisiva previamente gravadas, que continham discursos sobre o esporte, numa variedade de gêneros televisivos. Destacaram-se nove direções do discurso televisivo: “a falação”, “cotidiano”, “ao vivo”, “nostalgia”, “adrenalina!”, “esporte global”, “anúncio publicitário”, “veja de novo” e “espetacular!” A fase seguinte completa o primeiro movimento da dialética proposta por Ricoeur, e busca sofisticar a compreensão inicial, com base em procedimentos explicativos, apoiados nas teorias sociológicas sobre o esporte – teorias do jogo, teorias marxistas, teoria do processo civilizador, teorias culturalistas – além das perspectivas da globalização e do pós-modernismo. Apontam-se as possibilidades e limites destas teorias perante as novas formas do esporte telespetáculo.

No segundo movimento, busca-se alcançar aquilo sobre que trata o discurso, seguindo do sentido à referência. Evidenciou-se que o discurso televisivo fala sobre formas de vida, que o esporte telespetáculo é obra de cultura que abre caminho à compreensão do homem, porque inscreve o humano mediante a linguagem audiovisual, o símbolo e a ação social. Propõem-se ainda novas possibilidades interpretativas para o esporte telespetáculo.

Por fim, realiza-se a apropriação crítica, concebida como a direção de pensamento aberta pelo discurso, que alicerça a busca de novos sentidos para as tarefas educacionais da Educação Física, concluindo que a formação de um espectador crítico e sensível é uma nova tarefa que a ela se impõe.

 

Clique aqui para ler a tese completa

 

Autor: Mauro Betti

Ano 1997

Tese de Doutor – UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS
Faculdade de Educação

Referências: BETTI, M. A Janela De Vidro: Esporte, Televisão E Educação Física. 1997. 279f. Tese (doutorado) – Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, Campinas. 1997

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s