Depois de 8 temporadas na Série C, o Leão do Pici nunca esteve tão perto de retornar a Série B, competição que não disputa desde 2009. A vitória contra o Tupi por 2×0, lhe deu a vantagem de puder até perder por 1×0 em Juiz de Fora, que estará de volta a Segunda Divisão. Se o retorno ocorrer, será a primeira ascensão do tricolor de aço da Terceira para a Segunda Divisão em sua história, já que nos anos 1990, a volta para Serie B ocorreu via Copa João Havelage.

Em 2009, o Fortaleza, que havia escapado do rebaixamento em 2008, repetiu a péssima campanha do ano anterior, mas sem Osvaldo, acabou descendo para a Série C depois de 10 anos. Logo se imaginou que o Leão do Pici teria uma breve passagem pela Terceira Divisão por uma breve comparação da equipe cearense com os demais participantes da Série C, porém isso se tornaria uma sina a sua torcida.

Em 2010, o Fortaleza terminou a primeira fase invicto, porém o time empatou demais e isso culminou na desclassificação ainda na primeira fase. Naquele ano, subiram para Série B de 2011, ABC, Ituiutaba (que viraria Boa), Criciúma e Salgueiro.

Em 2011, o pior ano do Leão, o time escaparia do rebaixamento para Série D na última rodada, após uma polêmica goleada nos últimos minutos contra o CRB, o famoso jogo em que Carlinhos Bala vira para o zagueiro do time alagoano e diz: “Falta só um!”. Vavá faria o gol da permanência, o Campinense cairia no lugar do time cearense. Naquele ano, subiram para Série B de 2012, Joinville, CRB, América-RN e Ipatinga.

Em 2012, o formato muda de 4 grupos de 5 para 2 grupos de 10, a competição aumenta o número de jogos na primeira fase e a primeira fase de mata-mata, se torna o “primor” da competição e a maldição na vida do time cearense. Naquele ano, o Leão encerraria a primeira fase, como líder de seu grupo e pela primeira vez classificado a fase derradeira da competição. Porém, com um PV lotado, o Leão foi goleado pelo Oeste e viu o rubro-negro paulista avançando, enquanto ele, permaneceria mais um ano. Subiram naquele ano, Oeste, Icasa, Paysandu e Chapecoense.

Em 2013, o Leão, novamente não passaria de fase. Após passar todo o torneio no G-4, viu sua vaga escapar no Castelão lotado com 2 gols relâmpagos do Sampaio Correa no fim do jogo. Subiram naquele ano, Santa Cruz, Sampaio Correa, Luverdense e Vila Nova.

Em 2014, o Fortaleza, de novo, conseguiria fazer a melhor campanha na fase de grupo e assim avançou com todo favoritismo ao “Mata-mata”, porém viu a vaga escapar no gol fora de casa para o Macaé, após o empate em 1×1 no Castelão com mais de 60 mil pessoas. Subiram naquele ano, Macaé, Paysandu, Mogi Mirim e CRB.

Em 2015, o filme se repetiria, o Fortaleza encerraria com a melhor campanha da primeira fase e novamente tinha o favoritismo. Após perder o jogo de ida, em Pelotas, o Fortaleza não conseguiria sair do zero contra o Brasil no Castelão lotado e novamente permaneceria na Terceira Divisão, concretizando o trauma da torcida. Subiram naquele ano, o Brasil de Pelotas, Vila Nova, Londrina e Tupi.

Em 2016, a sina se repetiu, o Fortaleza foi líder de seu grupo e foi favorito ao duelo contra o Juventude. É verdade, que dessa vez, o adversário além de mais tradicional, havia vindo de uma classificação heroica na fase de grupo da Terceira Divisão e na Copa do Brasil, onde eliminou o São Paulo nas Oitavas e parou no Atlético-MG somente nos pênaltis. Mesmo assim, se repetiria a história contra o Macaé. O Fortaleza arrancaria o zero-a-zero em Caxias do Sul, mas devido o gol fora, viu o alviverde gaúcho avançar e ele parar no Castelão lotado. Subiram naquele ano, Boa, Guarani, Juventude e ABC.

Agora em 2017, o time só garantiu a classificação na última rodada da fase classificatória, foi somente o terceiro colocado em seu grupo, além disso, fez a partida de ida em casa e garantiu a vantagem para o jogo de volta contra o Tupi. Será que agora vai? Será que 2017 é o ano do tão sonhado acesso do Fortaleza? Será que a “maldição” das Quartas de Finais se quebrará? Essas respostas teremos no próximo sábado, dia 23.