Capítulo Anterior

As eleições municipais chegavam ao fim, Taiana não “amoleceu” seu coração e digitou 13 na urna, apesar do PT não está na disputa. Dandara não pensou duas vezes e digitou 12 e ela queria Roberto de Novo! Alencar e Juliano também divididos, votaram em seus  respectivos candidatos. Ao fim da apuração, ficou a alegria para a turma dos Ferreiras Gomes, Roberto Cláudio estava reeleito. Alencar e Dandara, quem diria, comemoraram juntos a vitória do “Pinguim”. Já Taiana consolava e mangava de Juliano, já que não era dessa vez que a Capital seria do Capitão.

No hospital, Carol foi visitar Luis Inácio. Ele não queria receber “golpista” em seu quarto, mesmo assim, sua família permitiu que ela o visse. Carol queria saber se ele estava bem, com toda prepotência, Luis Inácio disse que estava ótimo e que da próxima vez deixasse ele morrer, porque é melhor morrer, que ficar devendo favores a uma tucana. Carol irritada disse que na próxima vez iria fazer isso, porque ele era um ser humano que não merecia preocupação nenhuma, e mais uma série de palavreados que são desnecessários citar. Ou seja, o hospital virou palco de briga entre eles. Restou aos médicos “apartarem” a briga e retirar Carol dali.

Um dia seguinte ao fim das Eleições mais loucas da história de Fortaleza, as velhas alianças voltavam a debater as Reformas de Temer. Apesar de rouca, Dandara convocava a todos irem lutar contra os desmandos do governo golpista. Taiana a ajudava nessa convocação. A ideia era simples, conseguir recursos e ir a Brasília, para evitar a votação. Dandara recebeu a informação, que os alunos estavam ocupando a Universidade Federal do Ceará, a ponto de demonstrar insatisfação contra Temer e contra essas propostas.

No outro lado da cidade, Alencar e Juliano já se preparavam para mais uma manifestação contra a Corrupção, contra o PT e a favor das Reformas. Os dois de verde e amarelo se encaminhavam a Praça Portugal, onde ocorreria o ato mais uma vez. Após o Impeachment de Dilma, eles perceberam o poder da luta e que podia, sim, dar uma nova chance para o Brasil prosperar.

Chegávamos em Novembro e as votações das Reformas se aproximavam, então…