Capítulo Anterior

Ao chegarem no motel, Dátolo e Raquel se esbaldaram. Eles fizeram tudo o que podiam e até o que não podiam. Era algo tão louco, tão insano, tão gostoso, que da 13 de Maio era possível ouvir os gemidos que ambos ecoavam de dentro do Le Chalet. Eles passaram um dia inteiro transando, com pequenas pausas para comer algo e beber um vinho italiano, que o mesmo havia levado para eles aproveitarem o momento. Ao terminarem com toda aquela orgia, ambos combinaram de encontrar-se sempre que Ellen viajasse. Raquel adorou aquele convite.

Uma semana após o ocorrido, Ellen convidou Raquel para passar um dia inteiro com ela no mesmo Le Chalet, ela queria aproveitar que Dátolo havia viajado. Raquel, obviamente aceitou. Como sempre, Raquel esperou Ellen em frente ao Shopping Benfica, e no carro de Ellen, iria para o motel, mas ela percebeu que não estavam no caminho do Le Chalet. Ellen afirmava que iriam aproveitar em outro local, dito e feito, Ellen e Raquel foram para um motel próximo a Lagoa da Parangaba. Lá, ambas transaram feito loucas, mas apenas uma vez. Após a primeira gozada, Ellen puxou uma arma e atirou na cabeça de Raquel. Ao matar Raquel, Ellen falou sozinha: “Morre, sua Quenga! Agora vou matar o outro filho da puta!” Sem pestanejar, Ellen esperou cair a madrugada para jogar o corpo de Raquel na Lagoa da Parangaba.

No dia seguinte, quando Dátolo retornou para casa, Ellen esperou o momento que este tomava banho, para matá-lo do mesmo jeito. Com um toque maior de crueldade, Ellen o capou, jogou o corpo na Lagoa da Parangaba e os genitais enterrou no quintal de casa.

Meses após os assassinatos, Ellen foi assassinada por uma vadia que ela levou para casa. Além de matá-la, a vadia ainda levou tudo o que Ellen tinha em casa. Sem saber o que havia ocorrido no passado, a vadia com ajuda de seu boy bandido, esperou a madrugada e jogou o corpo de Ellen na Lagoa da Parangaba.

Até hoje, dizem que no inferno, Ellen, Dátolo e Raquel costumam fazer altas orgias entre eles, orgias que assustam até o demônio.

Essa história pode não ter feito sentido, mas foi exatamente como aconteceu.

FIM