Dos dias 22 ao dia 26 de Junho, aconteceram os jogos das Oitavas de Finais da Copa do Mundo Feminina. Com exceção à Alemanha x Nigéria e Inglaterra x Camarões, todos os demais jogos foram disputados e demonstraram o equilíbrio existente da competição. Destaque para Brasil x França e Noruega x Austrália.

Nos duelos de sábado, a Alemanha não reconheceu a Nigéria e aplicou uma goleada com teores de bondade, visto que o 3×0 saiu barato. Foi o jogo com maior diferença técnica entre as equipes.

No outro jogo, Noruega e Austrália foi o oposto, o equilíbrio entre as equipes era tão ínfimo, que a disputa foi decidida nos pênaltis. Apesar da bravura australiana, que conseguiu levar o jogo pros pênaltis com uma jogadora a menos, na hora da disputa, a craque e uma das artilheiras da copa, Sam Kerr perdeu a primeira cobrança, o que desestabilizou as demais cobradoras, para piorar o quadro para o time “asiático”, a Noruega foi perfeita. A Noruega retorna às Quartas de Finais após 12 anos.

No primeiro jogo de Domingo, Inglaterra e Camarões fizeram o jogo em que o VAR foi mais usado e também o mais polêmico desta fase. Apesar de tudo, as inglesas comprovaram o favoritismo e venceram por um fácil 3×0.

No outro jogo de domingo, Brasil e França fizeram um dos melhores jogos da Copa, e não somente pela vontade que ambas seleções apresentaram, mas pelo excelente nível técnico. Com o VAR acionado para anular gols de ambas seleções no tempo normal, foi na prorrogação, que o sobrenome Henry reapareceu para aterrorizar a vida de uma seleção brasileira. Amandine Henry, capitã francesa, fez o gol no inicio do segundo tempo da prorrogação, que eliminou o Brasil e colocou a França nas Oitavas.

Na Segunda-Feira, os EUA penou diante a Espanha e só conseguiu avançar graças a dois pênaltis, perfeitamente convertidos pela experiente Rapinoe.

No outro jogo da segunda, Suécia e Canadá fizeram um jogo a altura de seleções medalhistas de prata e de bronze na última edição de jogos olímpicos. A Suécia conseguiu a vitória com um gol de Blackstein e volta às Quartas depois de anos longe desta fase. O Canadá volta mais cedo do que se imaginava.

Na terça-feira, a Itália conseguiu comprovar o favoritismo e venceu tranquilamente a seleção da China. Para quem estava há 20 anos sem jogar o Mundial Feminino, podemos dizer que a Itália é a grande surpresa entre as quartas-finalistas.

No jogo que fechou as Oitavas, Holanda e Japão fizeram um dos melhores jogos desta fase. Um jogo disputado na bola, aonde Martens “estreou” no Mundial e, em um pênalti convertido pela melhor do mundo em 2017, já no fim do jogo, a Holanda garantiu uma vaga inédita nas Quartas. Para o Japão fica o gostinho de que se podia bem mais para uma seleção que jogou as duas últimas finais de Copa.

As Quartas começou nesta Quinta e terão os seguintes confrontos:

ALEMANHA x SUÉCIA

EUA x FRANÇA

ITÁLIA x HOLANDA

NORUEGA x INGLATERRA