Capítulo Anterior

Alessandra e Guarniejez tentam convencer o asteca a ajudá-los, pois eles só querem libertar seus amigos. O asteca é convencido, o que deixa a dupla encucada, visto a facilidade na qual o pedido foi atendido, mas naquele momento, era necessário a ajuda, então, nada de tentar entender o que passava na cabeça do asteca.

A noite cai, com a escuridão, a lua impera diante o céu maia, O General afirma que aquele era o momento certo para invadirem a sede do Batab e matá-lo. Vicente e o Exército vão com ele. Já na sede, o general evita o combate. Ao chegarem no quarto do Batab…

Alessandra, Guarniejez, o Príncipe e o asteca vão até onde estava Vicente, mas não o encontra lá. Eles estavam sem entender, até que veem uma multidão correndo até a sede, eles se direcionam até lá, pois algo dizia para eles, que Vicente e Carolina estavam em perigo.

Vicente, ao chegar no quarto da sede, se depara como Batab e Carolina em um intenso momento de amor e prazer. Naquele instante, Vicente paralisa por três segundos e grita: ”Carolina!”. Ela ver Vicente e se desespera, o Batab ver o general armado e rindo. Vicente, com a fúria o dominando, não pensou duas vezes e assassinou o Batab. Sua ira era enorme, mas o seu coração era de um apaixonado. Ele grita: ”Fuja, Carolina e fique feliz em está viva, pois a mim, nunca mais terá.. nem como inimigo!”. Carolina foge, em seguida, Vicente mata o General, em um golpe surpresa, uma fincada certeira no coração.  Logo depois mata o Batab mais uma vez, capa-o e queima o órgão sexual de seu inimigo em uma fogueira que há ali. O excesso de adrenalina e fúria o faz dormir, após alguns minutos de choro.

Ao chegarem à sede, os outros quatro veem Carolina chorando na entrada e se direcionam até ela para entender o que aconteceu. Em meio à multidão, que já cercava a sede, eles perguntam o que houve, então, Carolina conta o que aconteceu, nos mínimos detalhes. O asteca entra na sede. Eles não entendem nada do que ela falava, visto que ela estava com a voz engasgada pelo choro que não parava. Carolina grita que acabou transando com o Batab e que Vicente a flagrou num exato momento de orgasmo. O Príncipe tenta consolar a amiga, mas naquele momento, somente lágrimas exalavam de seu belo rosto.

Ao ouvir a gritaria na rua, Vicente acorda e se depara com um asteca o glorificando. Vicente não pensa duas vezes, nem três, sai do quarto, vê o povo e fala: “Eu sou o seu novo Batab! Vocês tão f*** do mesmo jeito, os astecas vão lhes dominar mesmo, então, me glorifiquem, sou o seu novo líder!” Todos aplaudem, mesmo sem entender o que ele falava, com exceção a seus amigos, que ficam surpresos.

Guarniejez sai correndo de onde estava, invade a sede, vai até Vicente e fala pro seu amigo: ”Vicente, pare! Isso não é certo! … Isso não é certo!” Vicente empurra Guarniejez e diz: “Não sei de onde é você, se é do futuro ou do inferno, mas estou a defecar para isso! Saía daqui, antes que eu o mate!” Guarniejez sai, e o povo segue ovacionando o novo Batab. Guarniejez, Alessandra, Carolina e o Príncipe saem dali e vão dormir no meio do nada.

No dia seguinte, alguns soldados chegam ao lugar onde estavam os quatro, e logo os acordam com chutes e berros. Eles capturam Carolina, que nem dormir havia dormido. Guarniejez e Alessandra tentam impedir, mas levam socos e bordoadas até apagarem. O Príncipe reage, mas também apanha até ser apagado.

A quase um quilômetro de onde Carolina foi capturada, os soldados a entrega para o asteca. Ele afirma: “Você é bastante atraente, linda, mas você não me atrapalhará. Vem comigo, o ‘burro’ quer você.” Ela nem se quer reage, ele a coloca em seus ombros e a leva até Vicente.

Após despertarem da surra, Guarniejez, Alessandra e o Príncipe vão atrás de Carolina. Após seduzir um simples artesão, Alessandra consegue um veículo para que ela, Guarniejez e o Príncipe possam ir até a sede.

O asteca chega à sede do batab, rebola Carolina no chão e a entrega para Vicente. Ela, com lágrimas no rosto, pergunta: ”O que você quer de mim?”. Vicente a olha com cara de “Saiyajin” desce de uma espécie de trono que estava sentado, se direciona a ela e diz: ”Se ajoelhe!”. Ela não entende, ele berra: ”Se Ajoelhe!”. Ela se ajoelha, ele ordena: “Beije meus pés!” Ela beija, ele a puxa pelos cabelos e berra: “Tu é um lixo, uma adúltera, uma promíscua, que não merece confiança. Nem a mais má das mulheres deveria ser chamada de Carolina!” Ele larga os cabelos dela, ela perde o equilíbrio e cai no chão, chorando demasiadamente. Então, ele vira para ela e ordena: ”A partir de hoje, tu será minha escrava, fará tudo o que eu quero, e não se preocupe, não vou a querer ou a desejar, pois tenho nojo de vossa pessoa.” Ele cospe nela e ordena aos guardas: “Levem ela para limpar as fezes dos animais.” Os guardas a leva, mas antes ela grita: ”Vicente, saiba que eu ainda te amo e você também me ama.” Ela sai de lá, Vicente começa a chorar, o asteca percebe que derrotar este novo Batab será mais fácil do que ele imaginava.

Alessandra, Guarniejez e o Príncipe chegam à sede e veem Carolina limpando as fezes dos animais. O Príncipe fica indignado, então corre até onde está Carolina, mas antes de chegar nela é capturado e levado pelos guardas. Alessandra e Guarniejez pegam o veículo e voltam para onde estavam. Eles não poderiam arriscar tudo, pois podiam conhecer o fim.

O asteca pede para Vicente se afastar da sede, para buscar novos soldados. Vicente concede. Pobre, Vicente! Não sabe que o asteca iria montar sim um exército, mas para tentar matá-lo e depois entregar aquele território ao Império Asteca.

Quando parecia tudo tranquilo para Vicente, aparecem os guardas e…