Após as 19 rodadas do 1º Turno encerrado, o Brasileirão 2019 mostra que apostar em “campeões antecipados” é algo que não deve ser feito, e que a luta contra o Rebaixamento tem seus favoritos, e que a briga pode envolver gente que não está acostumada com essa parte da tabela.

DISPUTA PELO TÍTULO

Antes da Copa América, seria louco imaginar, que o time que liderava o campeonato com folga, que era o atual campeão e que só aumentava sua sequência invicta teria um pós-Copa tão complicado, com eliminações traumáticas, sequência negativa e até demissão de treinador. Mas foi isso que ocorreu com o Palmeiras. O time que nos 9 primeiros jogos, só não havia ganho 1 (e ainda empatou este), só voltou a comemorar uma vitória no Brasileirão na 17ª Rodada. Apesar da tempestade, o Verdão encerra o turno em segundo lugar e com apenas 2 derrotas.

Após a queda de rendimento do Verdão, o Santos se apresentou como grande time do Campeonato. Porém, depois de ser apontado como o time a ser batido, o Santos patinou, inclusive vendo um 3 à 0 diante o Fortaleza, virar um 3 à 3, em plena Vila Belmiro. O time ainda teve a chance de terminar o turno como líder, mas caiu pro Flamengo no Maracanã, e viu, a diferença ficar em 5 pontos e a posição de tabela ser o 3º Lugar.

Com o fim do primeiro turno, a sensação que fica é que o Flamengo é o time a ser batido. O time da Gávea se encontrou com Jorge Jesus, e viu, o seu trio ofensivo brilhar. Bruno Henrique, Arrascaeta e Gabigol foram os nomes do rubro-negro, principalmente, na arrancada dada ao fim do turno, incluindo a goleada sobre o Palmeiras e a vitória sobre o Santos, confrontos diretos na disputa do título. O Flamengo encerra o turno com o artilheiro, com direito a recorde nesse quesito, visto que Gabigol já marcou 16 gols, melhor marca de um artilheiro desde que o campeonato passou a ser disputado por 20 times em turno e returno em 2006, além de ser o melhor ataque e o time que mais venceu.

OS OUTROS

Por um momento se acreditou que o São Paulo poderia está no pelotão de cima, mas a falta de um elenco mais “recheado” fez o tricolor ver a disputa pelo título mais longe, principalmente, após a sequência negativa no fim do turno, culminado com 4 jogos sem vitória, com direito a um empate com o CSA no Morumbi.

O Corinthians que estava no meio da tabela antes da Copa América, também chegou a ser cogitado a está no primeiro pelotão, com direito a uma bela sequência invicta. Porém nas duas últimas rodadas do turno, o time de Itaquera viu a vitória diante o Ceará virar empate com um incrível gol olímpico do Vozão, e o jogo diante o Flu virar um derrota após um “frango bisonho” de Cássio, o que o distanciou da turma de cima.

No jogo do “Não quero, mas to por aqui”, o Internacional, que evidentemente, deixou o Brasileirão de lado visando as Copas (Libertadores e Copa do Brasil) termina o turno no G-4. O colorado mostrou a força do elenco nas últimas rodadas do turno, quando conquistou 7 de 9 pontos possíveis com o dito time reserva.

O Bahia é outro que faz o “jogo do quieto”. Com uma sequência de 9 jogos sem derrotas, o Bahia mostra um futebol eficiente e preciso, digno de ser a melhor campanha do clube desde 2001. O time só não fechou o turno na zona de Libertadores, porque só empatou com o Fortaleza em Salvador.

NO MEIO DO MUNDO

O Grêmio só não se apresenta numa posição melhor devido o desprezo dado a competição. O time gaúcho chegou a frequentar a zona de rebaixamento! Com uma bela arrancada nos últimos jogos, com direito a goleada diante o Cruzeiro em BH, o imortal tricolor já está entre os 10 melhores do campeonato. Se o time levar o Brasileirão a sério, ainda pode alcançar posições melhores no certame.

O Atlético-MG vive o inverso. Apesar de não ser cotado entre os favoritos, o Galo chegou a está próximo do pelotão de cima, porém, com uma sequência incrível de derrotas, o time começa a ver a Libertadores se distanciar e o meio de tabela como uma positiva colocação na tabela.

O Botafogo e o Athletico ficam só no “Cumprindo tabela” desde as primeiras rodadas. São times que não aparentam disputar lá em cima e nem passar sufoco, apenas fazer o básico para está, onde estão.

O Vasco conseguiu sair do buraco inicial após a chegada de Luxemburgo.O Goiás viu o inicio brilhante, com direito à G-6, virar a pior defesa do campeonato, e ser do quinteto o time com mais cara de rebaixamento.

Ceará e Fortaleza deixam a rivalidade de lado, e fazem campanha idênticas, com direito a mesma pontuação, empates heroicos e derrotas inexplicáveis.

A TURMA DE BAIXO

O Avaí só foi conquistar sua primeira vitória na 17ª Rodada! Nunca um time demorou tanto pra vencer. Porém com 2 vitórias nos 3 jogos finais, o time parece evitar a pior campanha de um time na Série A, mas longe de evitar um rebaixamento. Mas o torcedor do Leão ainda sonha com o milagre.

A Chapecoense vive seu pior momento desde que chegou na Série A em 2014. O time, junto com o Fluminense, é o que mais perdeu no campeonato, e junto com o Goiás, é o que mais levou gol. Diferente do rival estadual, a Chape sucumbe e ver a Série B cada vez mais próxima. Apenas um milagre salva o Verdão do Oeste.

O CSA era o grande favorito ao rebaixamento no inicio do Campeonato, principalmente por ser um estreante nos pontos corridos. O time de Alagoas confirmou o favoritismo negativo e passou todo o primeiro turno na zona de rebaixamento. Com o pior ataque do campeonato, o CSA conseguiu melhorar na reta final, com direito a um empate diante o São Paulo no Morumbi. O time segue favorito ao rebaixamento, mas a certeza já não é tão óbvia.

Vivendo uma inesperada crise, o Cruzeiro, que era um dos favoritos ao título no início do campeonato, ver sua briga em quase todo o turno ser contra o rebaixamento, e após uma sequência péssima de derrotas, o time se ver ao fim do turno dentro da zona maldita. O torcedor da raposa não quer imaginar um inédito rebaixamento do maior campeão nacional da década, mas o risco nunca foi tão grande.

O Fluminense é outro que viu sua luta no campeonato ser reduzida a manutenção na Série A. O time viu a filosofia de Fernando Diniz não ser o suficiente para colocar o tricolor carioca no pelotão de cima, e ainda ver derrotas para Avaí e CSA acontecer, em pleno Maracanã. Porém, graças a duas vitórias importantes diante Fortaleza e Corinthians, o time já comandado por Oswaldo de Oliveira, termina o turno fora da Zona, mas nada que ainda tranquilize o time das laranjeiras.

O QUE ESPERAR DO RETURNO?

A imprevisibilidade deve ser o grande nome do returno. O campeonato já mostrou que todos estão refém desta, e que tudo, ainda pode acontecer. Nem título, nem Libertadores, nem rebaixamento estão definidos, apesar de aparentemente ter seus favoritos. Tudo ainda pode acontecer! Até a previsão de imprevisibilidade é imprevisível, daí o charme desse campeonato.