Era uma vez uma moça bonita, mas bonita, bem bonita mesmo. Ela era tão bonita que quem se aproximava dela era só por causa de sua beleza. Ela ficava furiosa por isso, porque ninguém via outras incríveis qualidades que ela possuía. Em meio à raiva, ela resolveu ficar feia, mas sabe o que aconteceu? A Diaba ficou ainda mais bonita! Os homens babavam, as mulheres babavam, as crianças achavam que ela era uma fada e os velhos achavam que tinham morrido e estavam diante de um anjo.

Um certo dia, um moço tímido se aproximou dela para vender uma rifa. Ele não fez nenhum elogio, não ficou bobo, só quis vender o ponto da rifa. Ela ficou morta de feliz com a reação daquele moço. No outro dia, ela foi atrás do moço, mas ele só pensava em vender pontos da rifa. Ela resolveu não aperrear mais, porém não conseguia tirar aquele moço da cabeça.

Depois de um tempo, ela, por acaso, encontrou com o moço dentro do Grande Circular completamente lotado. Ele pediu para segurar as coisas dela. Quando ela chegou no ponto dela, ele a entregou as coisas e pronto. Ela estava impressionada, ele realmente estava nem aí se ela era a mulher mais incrivelmente bonita que já existiu na Terra. Ela estava encantada com isso, e não tinha quem mudasse isso.

Quase um ano depois, ela encontrou com ele no desfile das escolas de samba da Domingos Olímpio. Ela perguntou porque ele não ligava para a beleza dela, ele olhou pra ela e disse: “Eu só gosto de mulher feia! Você é muito bonita, mas hoje em dia, todo mundo é bonita! Ser feia é o real encanto que há!” Ele entrou no desfile com a Unidos do Acaracuzinho, enquanto ela foi pra casa ver os desfiles das escolas do Rio de Janeiro na Globo.

A vida seguiu para nossos personagens, ela virou Miss Universo e até hoje é solteira, porque não suporta os homens babões que a cercam. Ele se casou com a mulher mais feia de Fortaleza. Ambos são felizes! Ela com sua vida de viagens, ele com sua vida comum com sua amada. Ela nunca deixará de ser a mulher mais bela de todos os tempos, mas sempre sorrir, quando lembra que alguém a dispensou por aquilo que o mundo inteiro a quer.