Resumo
Objetivo: O valgo dinâmico de joelho é uma disfunção de movimento muito comum entre os atletas de vôlei, sendo fator de risco para lesões nessa articulação, o que poderia impactar negativamente a produção de potência muscular. Dessa forma, o objetivo deste estudo foi avaliar a influência da lateralidade do valgo dinâmico de joelho (uni- vs. bi-lateral) no desempenho do salto horizontal de atletas jovens de vôlei. Metodologia: Para tanto, foram selecionados 22 atletas de voleibol competitivos (oito do sexo masculino e 14 do feminino) que foram divididos nos grupos: valgo de joelho unilateral [VU – n=10, idade (anos): 13,7±1,4; massa corporal (kg): 56,9±12,9; estatura (cm): 163,5±9,2] e bilateral [VB – n=12, idade (anos): 13,6±2,3; massa corporal (kg): 52,8±13,8; estatura (cm): 165,91±8,65]. Os atletas realizaram três saltos horizontais e as distâncias horizontais obtidas (a melhor de três tentativas em cm) foram submetidas ao teste t para amostras independentes para verificar diferenças entre os grupos VU e VB. Resultados e discussão: Não foram observadas diferenças significativas entre os grupos VU vs. VB no teste de salto horizontal (VU: 166,2 ± 22,0 cm; VB: 162,6 ± 21,3 cm; p=0,703). Conclusão: Na casuística do presente estudo, a presença do valgo dinâmico de joelho/lateralidade não se mostrou um fator que pode influenciar no desempenho físico, particularmente da potência muscular de membros inferiores avaliada através de testes de salto horizontal, de atletas jovens de voleibol.

CLIQUE AQUI E LEIA O ARTIGO COMPLETO

Autores

Ano 2019

Revista Conexões: Educação Física, Esportes e Saúde (UNICAMP)